Parcerias Estratégicas

por: SPE - publicado: 17/11/2015 14:00, última modificação: 14/02/2017 15:06

Imagem de dois bonecas montando um quebra-cabeça simbolizando as Parcerias Estratégicas

Uma forma efetiva de se promover a inovação e a eficiência em setores regulados, visto que não há muitos estímulos no mercado para competição direta entre as empresas, é o desenvolvimento de parcerias estratégicas. A convergência de interesses e estratégias em torno de produtos e soluções que atendam a interesses específicos do setor sem deixar de olhar as demandas e as necessidades dos consumidores e da sociedade tem se tornado uma ferramenta cada vez mais relevante na formulação de políticas públicas.

Em termos de parcerias estratégicas, além desse esforço conjunto entre empresas de energia elétrica, indústria e academia, a ANEEL tem firmado acordos de cooperação ou utilizado algum instrumento similar ou equivalente com vários órgãos do governo e instituições nacionais, entre os quais o MCTI, o MDIC, a FINEP e o BNDES, e organismos internacionais, como a GIZ, a Agência Alemã para a Cooperação e Desenvolvimento, e a Embaixada Britânica no Brasil, que inclui trabalhos conjuntos com o Carbon Trust e o Ofgem, o órgão regulador da área de gás e energia do Reino Unido.

Voltar

Parceria com o MMA

Parceria com o MMA

por: SPE - publicado: 22/11/2016 10:58, última modificação: 23/11/2016 15:00

O Acordo de Cooperação Técnica entre a ANEEL e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), representado pela Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental (SMCQ/MMA), visa à promoção da eficiência energética e energias renováveis para redução de emissões de gases de efeito estufa.

O principal tema previsto no acordo é o projeto de eficiência energética na sede da ANEEL, que já têm algumas ações em andamento. 

O Futuro de uma sede eficiente e sustentável


Lançado em 29 de março, o projeto abrange os sistemas de iluminação e ar condicionado e planta de geração de energia solar fotovoltaica.

A execução do projeto será realizada no âmbito do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Companhia Energética de Brasília (CEB), mediante a assinatura de Contrato de Desempenho firmado entre a ANEEL e a concessionária. Trata-se de uma experiência pioneira na Administração Pública brasileira e tem uma proposta arrojada: o recurso que será investido no projeto pela CEB será pago pela ANEEL com os benefícios do projeto. Esses recursos deverão ser investidos pela CEB em novos projetos de eficiência energética, ampliando os resultados do PEE e beneficiando outros consumidores.

O Acordo firmado com o MMA oferecerá condições para sistematizar e criar guias que possibilitem a divulgação desse projeto, que será um exemplo de boas práticas no âmbito dos projetos de eficiência energética em prédios públicos e instituições privadas. Portanto, o projeto de eficiência energética da ANEEL, será utilizado como referência, tanto para instituições públicas, quanto privadas, de boas práticas no combate ao desperdício de energia, além de exemplo de implantação de central geradora de energia solar fotovoltaica.

No momento, a CEB está preparando a documentação necessária para licitar a execução do projeto. A conclusão está prevista para o 2º trimestre de 2017.

Histórico


A Diretoria da ANEEL, na 32ª Reunião Administrativa Ordinária, realizada em setembro de 2014, determinou “que a Superintendência de Pesquisa e Eficiência Energética – SPE apresentasse proposta de projeto de melhoria da eficiência no uso de energia elétrica no âmbito da ANEEL”.

Desde então, a SPE realizou diversas tratativas, com suporte em Acordo de Cooperação com a Deutsche Gesellschaft Für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), coordenado pela aSCR. A partir desses estudos, a SPE verificou a perspectiva de realizar a execução do projeto no âmbito do Programa de Eficiência Energética - PEE da CEB, além de contatos com a Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente.

Em fevereiro de 2015, a SPE consolidou as informações do Pré-diagnóstico Energético a partir de algumas informações, tais como: área construída, número de funcionários, contas de energia elétrica e as principais cargas instaladas no prédio. Diante das oportunidades de economia de energia e geração solar fotovoltaica sinalizadas no Pré-diagnóstico , a GIZ realizou o Diagnóstico Energético e o Projeto Básico. A implementação das ações ficou a cargo do Programa de Eficiência Energética da CEB.

Em 29 de março de 2016 o Projeto Básico foi formalmente apresentado, com a inauguração da exposição das maquetes, abrangendo os sistemas de iluminação e ar condicionado e planta de geração de energia solar fotovoltaica. Nesta data, foi assinado o Acordo de Cooperação Técnica entre a ANEEL e a CEB para realização da obra. Mais informações estão disponíveis no Processo nº48500.000449/2015-58.

Ao longo dos desdobramentos desse projeto, técnicos da ANEEL e da SMCQ/MMA estreitaram contatos visando ao aproveitamento de oportuna troca sistemática de informação e experiências sobre eficiência energética e energias renováveis, culminando com a celebração de Acordo de Cooperação Técnica.

Arquivos