ANEEL conclui sua participação no 7º Fórum Mundial de Regulação de Energia

Autor: ASD

Publicação: 29/03/2018 | 08:14

Última modificação: 29/03/2018 | 08:28

Com a participação da ANEEL,  chegou ao final a 7ª edição do World Forum on Energy Regulation – Fórum Mundial de Regulação de Energia (WFER 2018), ocorrida entre 20 e 23 de março, no México, considerado o maior fórum de regulação de energia do mundo.

O WFER 2018 reuniu mais de 1.100 participantes, de 80 países dos cinco continentes, com representantes oficiais de 40 entes reguladores. O tema desta edição foi “Regulando em tempos de inovação“ e teve como pilares o empoderamento do consumidor, os mercados dinâmicos e a infraestrutura sustentável.

A ANEEL esteve representada pelo diretor André Pepitone da Nóbrega, vice-presidente da Associação Ibero-Americana das Entidades Reguladoras de Energia (Ariae), que participou da programação oficial em dois momentos distintos: a High Level Commissioners’ Round Table (Mesa Redonda de Conselheiros de Alto Escalão) e o painel Implementing decarbonization policies (Implementação de políticas de descarbonização).

Na Mesa Redonda, que contou com a participação de 14 Conselheiros e Diretores de Reguladores de diversas partes do mundo, sob a moderação do conselheiro da Comisión Reguladora de Energía (CRE) do México, Jesus Serrano Landeros, foram discutidos aspectos relacionados à inovação e à atuação dos reguladores nas tecnologias disruptivas.

No debate, André Pepitone ressaltou que “as mudanças no setor energético são inexoráveis e cabe aos reguladores atuar como facilitadores da inserção das novas tecnologias, de maneira equilibrada entre os agentes, a sociedade e o governo”.

No painel sobre descarbonização, moderado pela presidente da Associação Regional de Reguladores do Sul da África (Rera), Gloria Magombo, foram debatidas boas práticas de fomento a energias renováveis e eficiência energética, para implementação de ações de descarbonização da matriz.

Em sua apresentação no painel, Pepitone destacou a característica essencialmente limpa da matriz elétrica brasileira e os compromissos assumidos pelo Brasil no Acordo de Paris. “O Brasil se comprometeu a aumentar a participação de bioenergia sustentável na sua matriz energética para aproximadamente 18% até 2030, bem como alcançar participação estimada de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética, de maneira a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030”, afirmou.

Também participaram do painel a diretora da Comissão do Mercado de Energia Australiana (AEMC), Shari Boyd; o conselheiro da Comissão de Energia da Califórnia, David Hochschild; e o chefe da Divisão de Parcerias e Apoio Técnico da Agência Internacional de Energias Renováveis (Irena), Salvatore Vinci.

Outras participações da ANEEL foram, no dia 20, da Assembleia Geral da ARIAE; e no dia 22, da reunião da Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa (Relop) que discutiu a estruturação e o funcionamento da Escola Ibero-americana de Regulação (EIR) e contou com a participação de representantes da Ariae, da Fundação Getulio Vargas (FGV) e da Florence School of Regulation.

Além do diretor, integraram a delegação da Agência o assessor da Diretoria Fabricio Bernardo Pereira e a coordenadora de Relações Institucionais, Larissa Mamed Brandini. Também participaram do WFER 2018 o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), José Cesário Cecchi, o presidente da Associação Brasileira de Agências de Regulação (Abar), Fernando Franco, e os representantes da FGV, Joísa Dutra e Gustavo De Marchi.