GERAÇÃO

Homologado o resultado do Leilão A-4 de 2018

Autor: ASSESSORIA DE IMPRENSA

Publicação: 26/06/2018 | 16:1

Última modificação: 26/06/2018 | 16:4

 

Durante a reunião pública desta terça-feira (26/6), a Diretoria da ANEEL decidiu homologar parcialmente o resultado e adjudicar o objeto do Leilão A-4 de 2018. O início de suprimento será em 1º de janeiro de 2022.

O Leilão nº 01/2018-ANEEL, denominado A-4 de 2018, foi realizado no dia 4 de abril deste ano. O objetivo era a contratação de novos empreendimentos de geração de energia elétrica a partir das fontes hidrelétrica, eólica, solar fotovoltaica e termelétrica a biomassa.

A Comissão Especial de Licitação (CEL) responsável pelo certame, justificou a recomendação de homologação do resultado e a adjudicação do leilão A-4 informando que as vendedoras habilitadas atenderam às diligências da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e da CEL, possuíam documentação de habilitação conforme com os requisitos estipulados pelo edital e estavam adimplentes com as obrigações intrassetoriais.

Confira na tabela abaixo os empreendimentos aptos a homologação e adjudicação:

 

Proponente Vencedora

CNPJ

Empreendimento

Tipo

1

ALCON – Companhia de Álcool Conceição da Barra

30.974.737/0001-76

Alcon

UTE

2

Salto do Guassupi Energética S.A.

08.147.946/0001-97

Salto do Guassupi

PCH

3

Quevedos Energética S.A.

08.140.348/0001-96

Quebra Dentes

PCH


A energia foi comercializada por agentes detentores de 39 empreendimentos, sendo eles: 29 Solar Fotovoltaicas, 4 Eólicas, 2 Pequena Central Hidrelétrica (PCH), 2 Central Geradora Hidrelétrica (CGH) e 2 Usina Termelétrica a biomassa (bagaço de cana) (UTE).

Os estados com os empreendimentos contratados foram Ceará (14 usinas), Minas Gerais (8 usinas), Piauí (6 usinas), Bahia (4 usinas), Pernambuco (3 usinas), Rio Grande do Sul (2 usinas), Espírito Santo e Mato Grosso do Sul com uma usina em cada estado.

Como compradoras da energia negociada participam, 17 concessionárias de distribuição com destaque para a Coelba (16,35% do total negociado), Celg (10,69% do total) e Elektro (10,45% do total negociado).