Leilão

Leilões de Energia Existente A-1 e A-2 movimentam R$ 918,9 milhões

O Leilão de Energia Existente A-1 negociou energia ao preço médio de R$ 158,37/MWh, com deságio de 16,65%

Pesquisar Noticias

Período de: a
Voltar

Aprovado reajuste tarifário da Ceris (SP)

TARIFA

Aprovado reajuste tarifário da Ceris (SP)

Autor: AID

Publicação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataCriacao)

Última modificação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataModificacao)

 

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou nesta terça-feira (9/7) o reajuste tarifário da Cooperativa de Eletrificação da Região de Itapecerica da Serra (Ceris), localizada em São Lourenço da Serra (SP). A cooperativa atende 6 mil unidades consumidoras, situadas nos municípios de Itapecerica da Serra, Embu-Guaçu, São Lourenço da Serra e Juquitiba. Os novos valores entrarão em vigor a partir de 11/7.

Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais.

Confira abaixo os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores:

Empresa

Consumidores residenciais - B1

Ceris SP

9,68%

 

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão

em média

Alta tensão

em média (indústrias)

Efeito Médio para o consumidor

Ceris SP

10,01%

9,88%

10,00%


O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

Mais informações sobre reajustes tarifários aqui.