GERAÇÃO

ANEEL promove seminário sobre geração de energia com resíduos sólidos urbanos

O I Seminário Desafios da Geração de Energia Elétrica com Resíduos Sólidos Urbanos será realizado na próxima quarta-feira 8/12, a partir das 9h

Pesquisar Noticias

Período de: a
Voltar

Aprovada a recomposição do CVU para UTEs Cuiabá e Uruguaiana

Aprovada a recomposição do CVU para UTEs Cuiabá e Uruguaiana

Autor: AID

Publicação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataCriacao)

Última modificação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataModificacao)




A diretoria da  Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou nesta terça-feira (23/11), a recomposição temporária do Custo Variável Unitário (CVU) das usinas termelétricas (UTEs) Uruguaiana e Cuiabá , movidas a gás natural. A decisão, devido ao cenário de escassez hídrica, acolheu parcialmente os pedidos das empresas proprietárias - Âmbar Uruguaiana Energia Ltda e Âmbar Energia, respectivamente.

A portaria do Ministério de Minas e Energia (MME) nº 5,  de abril deste ano, autoriza, até 30 de abril de 2022,  a inclusão excepcional e temporária de custos fixos ao Custo Variável Unitário (CVU) de usinas termelétricas. Em maio passado, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) demandou que todos os recursos de geração termelétrica sejam despachados fora da ordem de mérito pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A homologação da ANEEL acarreta a correspondente alocação de custos às geradoras, é decorrente  por determinação da Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG).

Para a UTE Uruguaiana, a ANEEL homologou o valor do CVU de R$ 2,518,44/MWh, com a inclusão dos custos fixos. Também determinou em  777.600 MWh o montante de geração necessário à recuperação dos custos fixos ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para fins de planejamento e programação da operação eletroenergética do Sistema Interligado Nacional (SIN).

No caso da UTE Cuiabá, a Agência determinou a aplicação dos valores de CVU, com a inclusão de custos fixos,  de R$ 2.470,07/ MWh. Também estabeleceu o montante de 357.120 MWh para a recuperação dos custos fixos ao ONS.

 

Link curto para esta página: https://bit.ly/3HQoqpZ