GERAÇÃO

Leilões de energia da ANEEL e CCEE viabilizam R$ 4 bi de investimentos em renováveis

Os acordos firmados, que somam R$ 4 bilhões em investimentos futuros nas obras das usinas, terão duração de 20 e 30 anos e início de suprimento em janeiro de 2024 e janeiro de 2025

Autor: ANEEL

Publicação: 08/07/2021 | 16:15

Última modificação: 09/07/2021 | 10:47

A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE realizaram nesta quinta-feira (8/7) os Leilões de Energia Nova A-3/2021 e A-4/2021, os primeiros do tipo organizados desde que teve início a pandemia de COVID-19.

Na avaliação de André Patrus, gerente executivo da Secretaria Executiva de Leilões da ANEEL, os dois leilões foram bem-sucedidos. “Contratamos todas as fontes ofertadas, colaborando para a diversificação da matriz elétrica nacional, com deságios expressivos e economia da ordem de R$ 2,5 bilhões para os consumidores, considerando a redução do preço da energia negociada em relação ao teto. Esse resultado reduzirá em 1,31 ponto percentual o custo a ser considerado nas tarifas de energia”, informou Patrus.

Os acordos firmados, que somam R$ 4 bilhões em investimentos futuros nas obras das usinas, terão duração de 20 e 30 anos e início de suprimento em janeiro de 2024 e janeiro de 2025. Foram negociados contratos para empreendimentos hidrelétricos e de geração a partir de fontes eólica, solar e biomassa.

“Tivemos um resultado muito bom, atendendo à demanda das empresas de distribuição, reforçando o interesse em fontes renováveis e gerando economia para o consumidor. Viabilizamos também investimentos em novas usinas e na expansão de empreendimentos em diversas regiões do país”, afirma Rui Altieri, presidente do Conselho de Administração da CCEE.

No total, 33 empresas se sagraram vencedoras do leilão A-3/2021, por oferecerem o menor preço de venda de sua energia. Esses projetos somam R$ 2,2 bilhões em investimentos. O deságio médio foi de 30,83%. Já no leilão A-4/2021, foram contratados 18 empreendimentos, que somam R$ 1,8 bilhão em estimativa de investimentos futuros. O deságio foi de 28,82%.

Leilão A-3/2021

 

Nº de Projetos

Estados

Investimentos

Capacidade

Deságio

Hidrelétricas

3

RS

R$ 242,7 milhões

35,250 MW

24,89%

Eólicas

23

BA, RN

R$ 1,02 bilhão

251,700 MW

24,96%

Solar

5

PE, PB

R$ 618,8 milhões

169,3 MW

36,60%

Biomassa

2

PR, SP

R$ 314,0 milhões

91,140 MW

39,51%

Leilão A-4/2021

 

Nº de Projetos

Estados

Investimentos

Capacidade

Deságio

Hidrelétricas

3

RS, MT

R$ 515,4 milhões

77,018 MW

29,03%

Eólicas

10

RN, BA

R$ 750,2 milhões

167,8 MW

23,89%

Solar

2

PB

R$ 289,3 milhões

100 MW

31,16%

Biomassa

3

GO, MS, SP

R$ 296,7 milhões

92,5 MW

32,87%

 

 

Link curto para esta página: https://bit.ly/3wrtjie