GERAÇÃO

Leilões de energia da ANEEL e CCEE viabilizam R$ 4 bi de investimentos em renováveis

Os acordos firmados, que somam R$ 4 bilhões em investimentos futuros nas obras das usinas, terão duração de 20 e 30 anos e início de suprimento em janeiro de 2024 e janeiro de 2025

Pesquisar Noticias

Período de: a
Voltar

Aprovados reajustes tarifários de cinco concessionárias do RS

TARIFAS

Aprovados reajustes tarifários de cinco concessionárias do RS

Autor: AID

Publicação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataCriacao)

Última modificação: $dateTool.format($dataFormatada, $dataModificacao)

 

A ANEEL aprovou, nesta terça-feira (20/7), o reajuste tarifário de cinco concessionárias gaúchas. As empresas Centrais Elétricas de Carazinho (Eletrocar), Hidropan Distribuição de Energia, Mux Energia, Nova Palma Energia e Departamento Municipal de Energia de Ijuí (DEMEI) atendem juntas a mais de 120,8 mil unidades consumidoras no estado do Rio Grande do Sul.

Empresa

Nº de unidades consumidoras

Eletrocar

38,4 mil

Hidropan

18,9 mil

Mux

11,9 mil

Nova Palma

16,3 mil

DEMEI

35,3 mil

Confira, na tabela, os novos índices que entrarão em vigor a partir desta quinta-feira (22/7/2021):

Empresa

Consumidores residenciais - B1

Eletrocar

3,76%

Hidropan

6,45%

Mux

8,93%

Nova Palma

5,59%

DEMEI

8,24%

 

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão em média

Alta tensão em média

Efeito Médio para o consumidor

Eletrocar

4,96%

2,41%

4,24%

Hidropan

6,73%

3,59%

5,70%

Mux

9,11%

10,91%

9,84%

Nova Palma

8,19%

14,19%

9,55%

DEMEI

8,26%

15,00%

9,58%

Vale ressaltar que o conjunto de ações tomadas pela Agência para mitigar tarifas colaborou para amenizar os índices da Eletrocar, Hidropan, Mux Energia e Nova Palma.

As empresas Eletrocar e Hidropan tiveram seus índices tarifários atenuados pela reversão do empréstimo da conta-covid, já a revisão da Mux Energia foi amenizada pelo uso de créditos de PIS/Cofins. No caso da Nova Palma, foram quatro ações de mitigação que juntas totalizaram redução significativa no impacto do reajuste.

O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

Mais informações sobre reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico www.aneel.gov.br, no link entendendo a tarifa, e no aplicativo ANEEL Consumidor, disponível para dispositivos móveis Android ou IOS.

 

 

Link curto para esta página: bit.ly/2V3x7ta